MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Exame 70-669–Microsoft Desktop Virtualization

Hoje passei no exame 70-669 que abrange as tecnologias de virtualização de desktops da Microsoft. Ele é o segundo de três exames necessários para o MCITP em Virtualização.

image

Vou detalhar as 4 principais tecnologias que são abordadas e alguns exemplos de perguntas. Obviamente que meu exame teve uma parte das perguntas possiveis e não vou passar exatamente os cenários nem as opções.

Seguem materiais de estudos obrigatórios para este exame:

APP-V (Application Virtualization)

Este é a tecnologia que a Microsoft adquiriu a alguns anos e se chamava SoftGrid. O conceito deste tipo de tecnologia é muito interessante, mas apesar de levar o nome de virtualização é bem diferente dos modelos que conhecemos no Hyper-V e MED-V. É formado pelo App-V Manager e o App-V Sequencer.

O trabalho começa ao “sequenciar” uma aplicação e criar um pacote. Este processo nada mais é do que um monitor que ao ser iniciado passa a copiar tudo o que acontecer em um desktop. Após iniciá-lo fazemos a instalação de um software e ao final temos o pacote (package) pronto com todos os arquivos, chaves de registro e atalhos.

Exemplos de perguntas sobre o App-V:

  • Um pacote ficou corrompido, qual a melhor forma de resolver?
  • Como você faria para distribuir um pacote sem ter o App-V Manager no ambiente?
  • Qual a ferramenta para garantir atualizações no pacote sem redistribui-lo?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/appvirtualization/bb508934 e http://technet.microsoft.com/en-us/appvirtualization/cc843994

MED-D (Enterprise Desktop Virtualization)

O MED-V nada mais é do que um automatizador e gerenciador de imagens para o Windows Virtual PC do Windows 7, e é formado pelo gerenciador e pelo MED-V Workspace que fica no desktop.

Esta ferramenta irá permitir que as imagens de Windows XP criadas com aplicativos sejam distribuidas entre os usuarios. Por exemplo, imagine que duas determinadas aplicações não executem no Windows 7 e seja necessário usar o XP Mode. O MED-V ajudará a distribuir, atualizar e controlar estas VMs.

Exemplos de perguntas sobre o MED-V:

  • Como fazer para converter o MED-V já existente para Cluster?
  • Como otimizar a distribuição de imagens do MED-V pela rede?
  • Como evitar que o MED-V consuma muito espaço em disco no servidor?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/windows/bb899442 e http://technet.microsoft.com/pt-br/windows/gg276319.aspx

RDS (Remote Desktop Services)

O RDS é o Terminal Services do Windows 2008 e dispensa grandes explicações. Porem, é importante lembrar que ele é formado por vários componentes: RD Gateway para garantir acesso pela internet, RD Web Access para criar o portal de aplicações pelo browser, RD Broker para distribuir e gerenciar afinidade entre o farm, RD Session para manter os perfis dos usuários.

É importante lembrar muito bem os papeis e como cada um deles se relaciona com outro e qual a melhor forma de trabalhar com estes papeis em uma empresa.

Exemplos de perguntas sobre RDS:

  • Dado um quadro de servidores com várias funções, qual deles seria colocado no Conexão da Area de Trabalho?
  • Como garantir que uma impressora do usuário não seja redirecionada para a sessão remota?
  • Como impedir que um pendrive seja mapeado na sessão remota?
  • Quais portas e serviços adicionais precisam estar habilitados entre os papeis do RDS?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/library/cc770412.aspx e http://technet.microsoft.com/en-us/edge/ff945046

VDI (Virtual Desktop Infrastructure)

Esta tecnologia pode ser facilmente explicada como uma junção do RDS com o Hyper-V para criar ambientes virtuais de desktop. Você pode criar várias VMs de Windows 7 no Hyper-V e pelo AD Users and Computers vincular os usuários as VMs quando eles acessarem pelo RDS.

Esta foi a parte do exame que teve menos perguntas, já que o processo de VDI da Microsoft é extremamente simples de ser criado e configurado. Também não é facil encontrar documentação sobre isso, porem no Edge existem muitos vídeos.

Exemplos de perguntas sobre VDI:

  • Como fazer o licenciamento “per-user” e “per-device”, revogar de um ou outro e implementar?
  • Qual a melhor forma de transferir dados de uma VM para outra?
  • Como fazer com que um atalho apareça para todos os usuários?

Portal TechNet: http://technet.microsoft.com/en-us/edge/ff945049

É isso ai, bom exame e me conte se passou!!!

Posted: out 21 2011, 19:50 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Requisitos para Microsoft Partner-Desconto para Windows Phone, Certificações, MCPs e outros

Já no ano passado foram anunciadas mudanças para os parceiros (http://bit.ly/pDqNHo) e foi concedido o prazo de 1 ano para os parceiros atuais se ajustarem. Pois bem, este prazo termina em 31/10/2011.

São mudanças importantes, por exemplo, o número de MCPs terá que no minimo dobrar e em muitos casos ser 10 vezes maior que o atual. O motivo é o fato conhecido que hoje um MCP com 3 especializações (Exchange, ISA e Windows) pode ser usado para 3 categorias diferentes de Gold ou Silver e a partir de agora para apenas uma delas.

Porem, o anuncio recente inclui outras mudanças e uma delas é um desconto especial na aquisição de Windows Phone para quem tem o Live ID vinculado a um parceiro !!!!

Não é a toa que no MCT Summit que ocorreu ao final do TechEd na Microsoft foi comentado que deverão ser certificados muitos este ano.

Para ajudar isto a acontecer foi ampliado o programa de packs para parceiros com descontos ainda maiores (www.prometric.com/microsoft/partners) mas atenção que só pode ser comprado até 31/12 e os exames serem realizados até 31/05.

image

Quer saber todas as competencias, exames e maiores detalhes? Baixe o arquivo abaixo:

Partner Updates.PDF (622,48 kb)

Posted: out 19 2011, 18:00 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Certificação

Video de Windows System Resource Manager e SysInternals Process Explorer

Uma das minhas palestras no TechEd 2011 foi com o tema “Gerenciamento Recursos do Windows 2008 com o Windows System Resource Manager”, palestra de código SRV 303. Os ppts estão disponiveis em http://bit.ly/nTwJcZ

Após a palestra recebi diversos emails com feedback positivo e me pedindo material adicional.

Os links disponiveis no ppt são para a biblioteca do TechNet, mas obviamente contem apenas a parte téorica e não contempla exemplos práticos.

Pensando nisso, assim que eu tiver um tempo irei montar uma série de videos, mas por enquanto é possivel assistir ao video que gravei no passado em http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Community-Launch-Webcast-Gerenciando-recursos-do-Windows-2008-R2-com-o-WSRM-e-o-Process-Explorer.aspx

Após entrar no site de eventos, clique em “Inscrever-se” e terá a opção de fazer o download em WMV ou assistir online pelo Live Meeting.

Lembrando que o Windows System Resource Manager está disponivel no Windows 2008 em todas as versões e no Windows 2003, versões Enterprise e Datacenter.

Posted: out 10 2011, 18:18 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Gerenciamento de Storage com o System Center Virtual Machine 2012

Seguindo a série de posts sobre recursos do SCVMM 2012 integrados com VMWare ESX e Xen Server agora abordaremos outro recurso que é o gerenciamento de storages. Post anteriores: Integração com live migration http://bit.ly/pf0v9M e Dynamic e Power Optimization http://bit.ly/pJ6KLf.

Com o VMM 2012 você poderá classificar storages pela performance, definir o storage a ser utilizado e criar as LUNs sem a necessidade de conhecer o software de cada fabricante. Ou seja, você poderá utilizar o conceito de virtualização de storage com as interfaces do VMM 2012.

API SMI-S

Uma nova funcionalidade que está sendo discutida com os fabricantes de storages é a criação de um protocolo de comunicação muito similar ao SNMP mas que permita detalhes das especificações de um storage, chamado de Storage Management Initiative Specification (SMI-S).

Este protocolo é um API baseada nos modelos CIM/WBEM, que muitos já conhecem por ser também a especificação básica do WMI presente nos sistemas operacionais Windows. Utilizar este procolo não é tão simples, e é necessário ter um CIMOM que nada mais é que um proxy para “traduzir” as APIs nativas do storage para o protocolo SMI-S.

Porem, os fabricantes de storages já tem estes padrões bem estabelecidos e com upgrades de firmware podem incluir o CIMOM, um deles é o OpenPegasus, no storage já existente.

SMI-S no VMM 2012

Agora entra em cena o VMM 2012 que possui a interface de comunicação SMI-S para se comunicar com os storages e obter informações, e com base nestas pode classificar os storages conforme a sua performance, como a tabela abaixo retirada do TechNet (referencia ao final do documento):

Storage

Automação de Storage no VMM 2012

Agora podemos colocar em prática esta funcionalidade por criar arrays de storage e vincular aos hosts.

Imagine que em sua empresa haja storages com disco SAS e SATA, onde a classificação automática é SILVER e BRONZE respectivamente e tanto o grupo de servidores quanto uma VM pode ter especificado não a LUN, mas sim a classificação.

VMM2012

Essa automação inclui a criação das LUNs, ou seja, não será mais necessário ter conhecimento do software do fabricante para criar as LUNs individualmente já que a API SMI-S implementa os comandos necessário para gerenciar.

Storage Groups

Figura 1 – Tela principal do gerenciador de storages

Storage Pool

Figura 2 – Pool default e criação de um novo pool

Storage Add

Figura 3 – Inclusão de um storage ao pool

Storage

Figura 4 – Vinculando um storage pool a um grupo de hosts hypervisors

Com este recurso o gerenciamento de um datacenter será mais fácil, e quando temos diversos storages independentemente do fabricante poderemos utilizá-lo de forma simples com as APIs SMI-S.

Referencia TechNet http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg610600.aspx e http://blogs.technet.com/b/server-cloud/archive/2011/10/14/windows-server-8-standards-based-storage-management.aspx

Dynamic e Power Optimization do VMM 2012-Hyper-V + XenServer + VMWare

No post anterior sobre VMM 2012 abordei a capacidade de utilizar as 3 tecnologias de migração das VMs entre os host XenServer, VMWare e Hyper-V. Todos podem estar no mesmo grupo e utilizando o PRO Tips. Detalhes em http://bit.ly/pf0v9M

Mas agora vamos falar de duas novas features e como funcionam:

  1. Dynamic Optimization – Gerencia a agressividade com que as VMs são movidas entre os nós no modo “quente”
  2. Power Optimization – Desliga e religa nós do cluster conforme a utilização dos recursos
Dynamic Optimization

Esta feature irá gerenciar com qual nível de agressividade iremos fazer o balanceamento de carga nos hosts. É compativel com XenServer e VMWare desde que o BMC esteja instalado nos hosts. Note porem que o processo de migração das VMs ocorrerá entre os hosts do mesmo SO.

Note na tela abaixo que é possivel definir manualmente a frequencia em que este processo será executado. Tempos muito altos ocasionaram moves excessivos de VMs entre os hosts, tempos longos podem gerar lentidão em um host até que as VMs sejam movidas. O ideal é de 10 a 30 minutos para detecção e solução.

Abaixo vemos a configuração considerada ideal para que o VMM detecte a necessidade de move de VMs. No exemplo temos 30% de CPU, 512 MB de memória livre e não levamos em conta IOPS e Network pois esses dois itens comulmente são compartilhados entre os nós de um cluster e não são otimizados com moves entre os nós.

image

NOTA: Lembrando mais uma vez que esta configuração é feita nos grupos que podem contem Hyper-V, Xen Server e VMWare e que os moves irão acontecer entre estes servidores com o mesmo SO e não entre os diferentes SOs. Alem disso é necessário no caso do VMWare e do Xen Server que estejam em cluster.

Power Optimization

Este novo recurso é muito interessante, levando em conta que muitos cluster tem o dobro da necessidade média levando em conta os picos. O Dynamic Optimization ajuda no momento em que o pico ocorre a distribuir as VMs, mas e quando há sobra de recursos?

O Power Optimization irá desligar os nós que não sejam necessários quando a utilização dos hosts reduzindo nós terá umca determinada capacidade e no horário escolhido.

No exemplo abaixo iremos desligar o host desde que a utilização dos outros nós com os moves de VM não fiquem acima de 40% e 1GB de RAM, e desde que esteja em horário noturno ou final de semana.

O processo de desligamento é um shutdown  sendo que o religamento é realizado por pacotes WOL (Wake On Lan) que precisa estar habilitado na BIOS do host. Alem disso nos hosts ESX e Xen Server é necessário ter o BMC, assim como no Dynamic Optimization.

Alem disso, existe uma proporção para esse recurso:

  • Cluster de 4 ou 5 nós – 1 nó será desligado
  • Cluster de 6 ou 8 nós – 2 nós serão desligados
  • Cluster de 9 ou 10 nós – 3 nós serão desligados
  • Acima de 10 nós – 1 nó adicional pode ser desligado a cada 2

image

NOTA: O recurso Power Optimization só funcionar entre nós do cluster e não host-to-host.

Referencia: http://technet.microsoft.com/en-us/library/gg675109.aspx

Login
Marcelo de Moraes Sincic | Service Manager
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

System Center 2019 e Windows Server 2019 – Upgrade in place

Como conhecido, o System Center saiu em sua nova versão, agora seguindo o mesmo conceito de Branch (Current Branch) do Windows. De agora em diante veremos as versões seguindo o numero que indica a edição:

image

A versão 2019 da suite não teve alterações em layouts ou funcionalidades principais, mas acrescenta diversos recursos novos.

Atualmente temos disponivel a nova versão 1801, que se aproxima muito do que será a versão 2019 que terá como build 1901 com data de lançamento previsto em Março.

Estes recursos podem ser visualizados no link: https://thesystemcenterblog.com/2018/09/25/whats-new-in-system-center-2019/

Upgrade do System Center Configuration Manager

O SCCM já desde a versão 2016 tem o upgrade como uma funcionalidade nativa e automática. Sempre foi muito estável e fácil de ser realizada, ficando disponivel em Administration –> Updates and Services:

Upgrade SC (10)

Após iniciado, pode-se ir pelo menu da barra superior e acompanhar toda a instalação passo a passo:

Upgrade SC (1)

Lembrando que não é possivel interagir com o upgrade após iniciado, mas em caso de se escolher deixar as features desabilitadas no menu mostrado na primeira imagem, escolha a opção Features para incluir uma das novas.

Pessoalmente sempre prefiro fazer a instalação dos upgrades sem selecionar features e depois incluir as que desejo, assim posso estudar o impacto e real necessidade de mais componentes sendo executados no servidor.

Upgrade do System Center Service Manager

Tambem simples de ser realizado, insira a midia do SCSM e ele já entrará no modo de upgrade onde você irá selecionar qual dos servidores locais está sendo atualizado. Lembrando que é importante saber a estrutura para escolher a função correta do servidor que está sendo atualizado, no meu caso o Management Server:

Upgrade SC (2)

Upgrade SC (6)

A atualização é bem tranquila, e ao final já está executando. O novo portal de auto-serviço agora oferece a experiencia HTML5 sem necessidade de componentes adicionais:

Upgrade SC (9)

Upgrade do System Center Operations Manager

A Microsoft realmente aprendeu a fazer upgrades de versão com o System Center transparentes, rapidas e eficientes. O mesmo vale para o SCOM.

Similar ao SCSM, basta incluir a midia e executar o modo de upgrade:

Upgrade SC (3)

Upgrade SC (8)

A mensagem de Warning na tela acima existe desde as versões anteriores. Como os instaladores do System Center não pedem chave, em alguns é necessário fazer a inserção da chave posteriormente.

Para inserir a chave, execute o PowerShell do SCOM e utilize o comando, lembrando que agora a chave de instalação do System Center é a mesma para toda a suite desde a versão 2012:

Set-SCOMLicense -ProductId 'xxxxx’

Upgrade do System Center Orchestrator e Virtual Machine Manager

Para fazer o upgrade do SCO tive que primeiro desinstalar o servidor. O motivo no meu caso foi a instalação de um update no meio do ano que era beta e com isso o upgrade automático não é possivel.

Nesses casos, faça a desinstalação do servidor com a opção Retain Database ativada, mesmo sendo a do SCVMM a do Orchestrator é similar:

Upgrade SC (7)

Depois de desinstalar a versão anterior, ou mesmo para um refresh, refaça a instalação com a opção de utilizar um banco de dados já existente:

Upgrade SC (4)

Upgrade SC (5)

Upgrade SC (12)

Com isso a instalação tanto do System Center Orchestrator quanto do Virtual Machine Manager finaliza com os mesmos dados existentes.

Em muitos casos, o Orchestrator e o Virtual Machine Manager para no meio da instalação com um erro genérico de banco de dados, com a mensagem: “DBSetup.exe fails with unknown error 0x800A0E7A”

Se isso acontecer no seu caso, baixe e instale o SQL Server 2012 Native Client – QFE disponivel em https://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=50402

Upgrade do Windows Server 2019 com Serviços de System Center

Em alguns dos servidores, antes de fazer o upgrade do Windows realizei o upgrade do System Center.

Isso porque o System Center 2019 é compativel com o Windows Server 2012 R2, mas o contrário não. Isso quer dizer que é mais confiavel primeiro o upgrade dos serviços e depois do Sistema Operacional que tambem é compativel.

Upgrade SC (11)

Conclusão

O upgrade dos servidores System Center são estáveis, mas lembre-se de sempre ter um backup das bases de dados se ocorrer um problema nessas fases.

Tambem é importante lembrar das regras de ordem, em geral os Management Servers antes das outras funções.

Adquirindo e Licenciamento o Azure OMS – Operations Management Suite

Apresentamos muitas vezes ao cliente esta solução, que executada no Azure traz beneficios muito grandes para que é administrador de TI.

Já foi muito falado do OMS, originalmente chamado de System Center Advisor, depois de Log Insights (http://www.marcelosincic.com.br/post/Utilizando-o-Azure-Log-Analytics-(OMS)-e-o-SCOM-na-Mesma-Maquina.aspx e http://www.marcelosincic.com.br/post/System-Center-Advisor-Previewe28093Novidades.aspx)

Gosto muito de demonstrar as soluções de Health Check (Active Directory e SQL) e Change Log:

image

Mas muitos não entendem como é o licenciamento para se adquirir essa solução.

Quais são as possibilidades de adquirir?

Primeiro é bom lembrar os níveis básicos que um espaço de gerenciamento (como são chamados as “tenants”) podem ser:

image image
  • Free – Útil para testes pois não limita a apenas alguns dos pacotes de soluções, mas a coleta é limitada a 512kb por dia de logs e retenção de apenas 7 dias
  • Standalone – Permite coletar sem restrição de tamanho e retenção de 30 dias (pode ser customizado), não tem preço por servidor/nó e sim por storage consumido. Porem, não permite utilizar todos os pacotes de soluções, que precisam ser adquiridos em pacotes E1 ou E2
  • Standard e Premium – Permite coletar sem restrição, retenção de 365 dias e permite utilização de pacotes de soluções, dependendo do nivel escolhido
  • OMS – Este é o bundle E1 ou E2 que pode ser adquirido conforme a necessidade de pacotes, com preço por nós gerenciados e que inclui licenciamento do System Center e outros serviços

Qual dos modelos vale a pena?

Se a sua intenção é utilizar os contadores e soluções como Healthy Check e algumas analises, pode optar pelo plano Standalone onde poderá usar diversas soluções pagando apenas o tanto de log que armazenar.

Porem com o Standalone não é possivel evoluir para outras soluções, como análise de tráfego de rede e mapeamento de soluções.

Por conta dessa limitação, o ideal é ter os bundles de OMS onde poderá escolher as soluções e ainda incluir uma série de serviços e consumo já embutido, alem de todo o licenciamento System Center.

OMS pacotes E1 e E2

Sem dúvida é a melhor opção para empresas, onde você adquire serviços e pacotes com o System Center incluso (ou via add-on se já tiver) e pode utilizar outros serviços já incluidos no preço.

https://www.microsoft.com/en-us/cloud-platform/operations-management-suite-pricing

image

Como vemos na imagem acima, os bundles são compostos de pacotes de gerenciamento (imagem abaixo), serviços como Backup e Site Recovery e o licenciamento de System Center.

Isso é bem interessante quando comparamos os custos de cada um dos serviços e o que eles já incluem:

image

image

Basta comparar o custo de cada pacote de gerenciamento com o valor do E1 e E2 para notar que não vale a pena aquisição Standalone/Standard/Premium, apenas o custo do pacote de Protection/Recovery já é praticamente o valor do bundle E2.

E se eu já tenho o licenciamento de System Center ou o Windows CIS (Cloud Infrastructure Suite)?

Neste caso não precisará pagar duas vezes o System Center, pois como o E1 e E2 já incluem pode adquirir por add-on, ou seja acrescer ao pacote que já possui podendo optar por continuar renovando o licenciamento do CIS/System Center ou convertendo para OMS:

image

Pessoalmente acho bom para este caso continuar com o licenciamento do System Center/CIS, pois posso utilizar alguns nós com OMS e outros não dependendo do modelo de monitoração que desejo adotar.

Como posso estimar e comparar e decidir estes custos?

A Microsoft possui uma calculadora onde você seleciona os serviços e recebe a comparação entre os bundles OMS E1 e E2 ou aquisições standalone: http://oms-calculator-webapp.azurewebsites.net/home

image

Novos Management Packs para SQL

Complementando o post anterior sobre os novos Management Packs atualizados após o lançamento do Windows e System 2016 (http://www.marcelosincic.com.br/post/new-system-center-operations-manager-2016-management-packs.aspx), segue atualização.

Foi liberado hoje o Preview do novo Management Pack para SQL desde a versão 2008 até 2016.

Importante que este preview já resolve alguns problemas que ocorreram com bases de dados e indicadores na console do SCOM 2016:

New SQL Server 2008/2008 R2/2012 MP Features and Fixes

  • No extra permissions on remote WMI are now required for Local System account when Always On hosts have names that are no longer than 15 symbols
  • Fixed: Always On discovery and monitoring scripts cannot read cashed values in Windows registry
  • Fixed: Wrong MP version number in some Always On scripts
  • Fixed: CPUUsage and DBDiskLatency scripts fail with the reason: “Index operation failed”
  • Added retry policy in some Always On workflows to make PS-scripts work more stable
  • Updated the visualization library
  • Changed behavior of Always On scripts for cases when WSFC service is stopped

New SQL Server 2014/2016 MP Features and Fixes

  • No extra permissions on remote WMI are now required for Local System account when Always On hosts have names that are no longer than 15 symbols
  • Fixed: Always On discovery and monitoring scripts cannot read cashed values in Windows registry
  • Fixed: Wrong MP version number in some Always On scripts
  • Fixed: CPUUsage and DBDiskLatency scripts fail with the reason: “Index operation failed”
  • Added retry policy in some Always On workflows to make PS-scripts work more stable
  • Updated the visualization library
  • Fixed: Always On objects get undiscovered when any Always On discovery crashes

New SQL Server Replication 2008/2012/2014/2016 MP Features and Fixes

  • Added support for configurations where computer host names are longer than 15 symbols
  • Fixed: MonitorDistributorSnapshotFreeSpace fails when being launched against SQL Server 2014 SP2
  • Fixed: Wrong source detection in logging
  • Updated the visualization library

New SQL Server Analysis Services 2008/2012/2014/2016 MP Features and Fixes

  • Added support for configurations where computer host names are longer than 15 symbols
  • Fixed: AS workflows sometimes crash
  • Updated the visualization library

New SQL Server Reporting Services 2008/2012/2014/2016 MP Features and Fixes

  • Added support for configurations where computer host names are longer than 15 symbols
  • Fixed: Web Service monitors do not support URL reservation https://+:<port>/<ReportServerPage> (protocol is HTTPS)
  • Updated the visualization library

New SQL Server Dashboards Features and Fixes

  • Fixed: Tiles content is replaced with question signs after a long period of inactivity

 

Download e detalhes disponiveis em https://blogs.msdn.microsoft.com/sqlreleaseservices/released-public-preview-for-system-center-management-packs-for-sql-server/

Posted: nov 24 2016, 13:00 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Instalação e Upgrade do System Center 2016

Com o lançamento da midia RTM (Release To Manufactoring ou Final) do Windows 2016 e System Center 2016 chega a hora de fazer o upgrade de versões 2012 R2 e 2016 Technical Preview.

Vou abordar cada um deles a partir das versões 2016 Technical Preview, já que a migração das versões 2012 R2 é normalmente mais simples e suportada.

Atualização: Veja os Update Rollups do System Center 2016: http://www.marcelosincic.com.br/post/System-Center-2016-Updates-Rollup.aspx

System Center Configuration Manager (SCCM)

O SCCM é um dos produtos que já estavam na versão 2016 desde o inicio do ano, quando foi lançado como SCCM 1511, seguinte a nomenclatura do Windows 10.

Seguem os posts que já escrevi sobre esta versão:

http://www.marcelosincic.com.br/post/Nova-Feature-do-System-Center-Configuration-Manager-1511-Atualizacoes-e-Updates.aspx

http://www.marcelosincic.com.br/post/Novo-Modelo-de-Updates-do-SCCM-2016.aspx

http://www.marcelosincic.com.br/post/System-Center-Configuration-Manager-1511-Alterar-Evaluation.aspx

Para quem tem o SCCM 2012 R2 o upgrade é tranquilo e basta executar o Setup para funcionar.

System Center Operations Manager (SCOM)

O upgrade do SCOM pode ser feito tanto da versão 2012 R2 quanto das versões 2016 Techincal Preview da mesma forma, ele suporta os dois caminhos.

A unica recomendação que o próprio setup indica é fazer o backup das bases de dados (trabalho e DW) antes, pois não há como retornar caso ocorram erros no meio do processo:

capture20161013145918707

Será necessário fazer o upgrade do Report Viewer, antes utilizamos o RV do SQL 2012 e agora deve ser utilizado o RV do SQL 2016, que é encontrado no link do próprio Setup:

capture20161013150339362

capture20161013155424938

System Center Service Manager (SCSM)

O upgrade tanto do 2012 R2 quanto das versões Technical Preview é simples, não exige nenhum tipo de restrição, ocorrendo de forma bem tranquila:

capture20161013152230043

É importante lembrar de ao final fazer o upgrade dos Management Packs a partir do wizard que o SCOM 2016 possui:

http://www.marcelosincic.com.br/post/Atualizacoes-Automaticas-no-System-Center-Operations-Manager-2016-(TP4).aspx

System Center Virtual Machine Manager (VMM)

Este é um dos produtos que não permite o upgrade automático da versão Techinical Preview, mas permite a partir da 2012 R2.

No caso do Tecnhinical Previwe, o Setup irá indicar que já existe e pedirá para desinstalar:

capture20161013151606238 

Porem, a reinstalação é simples. Basta ao desinstalar escolher a opção para manter o banco de dados:

capture20161013151636326

Ao executar o Setup novamente usar o mesmo banco de dados e diretório das bibliotecas:

capture20161013152117951

capture20161013152715060

Após isso o VMM funcionará normalmente, mas é bom lembrar que será necessário deinstalar os agentes e reinstalar, se ele não fizer o upgrade automático do agente.

Lembrando que uma das mais interessantes features é integração com o Azure: http://www.marcelosincic.com.br/post/System-Center-Virtual-Machine-Manager-2016-TP2-Integrado-com-Azure.aspx

System Center Orchestrator (SCORCH)

Assim como o VMM, ele exige reinstalar mas é possivel manter o banco de dados e reapontar na nova instalação:

capture20161013153558520

capture20161013153757300

Após o processo, os runbooks aparecerão normalmente com os mesmo Integrations Packs.

No caso dos Integrations Packs do SCORCH e do SCOM é importante fazer o upgrade dos pacotes, sendo que no SCOM é bem mais fácil por ter no menu, enquanto não temos o mesmo no Orchestrator.

Novo Modelo de Updates do SCCM 2016

Como já havia escrito a algum tempo, uma das mais interessantes novidades do System Center 2016 é a capacidade dos produtos em se atualizarem automaticamente.

No System Center Operations Manager (SCOM) e Service Manager (SCSM) são so Management Packs e no System Center Configuration Manager (SCCM) a atualização inclui os binários do servidor, agente e console.

 

Atualização Automática do SCCM

Pelo console do SCCM acesse Administration –> Cloud Services –> Updates and Servicing e será possivel ver a lista de atualizações, que no caso do SCCM são os Builds, uma vez que ele não possui mais versões.

Clique sobre a versão que está disponivel, o SCCM irá manter o histórico das atualizações já realizadas.

Capturar

Ao selecionar a atualização é possivel ver os novos recursos que a atualização irá fazer, a lista de Knowlegde Bases:

Capturar0

Um item interessante ao iniciar atualização é que podemos ignorar os pré-requisitos como pode ser visto na tela abaixo no checkbox para ‘forçar” a atualização.

Claro que é importante deixar que os requisitos sejam testados, instalar uma atualização que não está com o ambiente completo pode gerar problemas e indisponibilidade permanente.

Capturar1

Outro item importante é a possibilidade de escolher as features que serão incluidas no SCCM com a atualização. Por exemplo, o Apple Volume Purchase é instalado nesse momento como se fossem as features pelo console em “Site Roles and Services”.

Caso não opte por instalar as features no momento da instalação da atualização, é possivel executar novamente mais tarde pelo mesmo caminho:

Capturar2

Como as atualizações “carregam” as novas features podemos escolher quais iremos habilitar como em outras configurações de roles:

Capturar3

Por fim após o update o SCCM poderá pedir para reiniciar o console e finalizar a instalação:

Capturar4

 

Conclusão

Realmente é um recurso excelente ter as atualizações a mão de forma tão simples e confiável.

Esse recurso tornará mais fácil manter o SCCM e outros produtos System Center saudáveis com as ultimas atualizações.

Login